Just another WordPress.com site

             Definições

  • O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa define a palavra „Eflorescência „ como sendo:

1. Bot. Princípio da florescência( Acto!Ato de florescer).

2. Espécie de cristalização, aparentemente pulverulenta, que cobre as folhas e outros órgãos de certas plantas.

3. Espécie de bolor nas paredes Húmidas

4. Med. Pequena erupção na pele

  •  O Dicionario Rossetti de Quimica nos explica  que  „alguns compostos, ditos eflorescentes, apresentam cristais que perdem as águas de cristalização, ou seja, moléculas de água que estão presas entre os cristais, em contato com o ar. Já os higroscópicos são compostos que têm cristais que absorvem água do ar ficando hidratados.

Seja qual for a definição a verdade é que manchas de sal branco cristalizados, seja em construções antigas ou modernas,  são mais do que que um simples incomodo tanto para os proprietarios assim como para arquitectos, engenheiros e restauradores. O dano causado pelo sal afecta não somente a aparência de um edifício, mas também a durabilidade dos materiais de construção o que pode se tornar num caso muito serio e até perigoso.

 1               2

Na construção civil „Eflorescência“-  popularmente conhecido como salitre-  geralmente  é  o nome que se dà aos residuos de sais, que  apos  terem sido diluidos com água e atravessado o material de construção pelo efeito capilar se recristalizam na superficie das paredes depois  da Agua se evaporar ao atingir a superfície.  Estes sais soluveis tanto podem jà existir no terreno de construção ou nos materiais de construção da parede.Como na construção civil muitos dos materiais utilizados sâo higroscópicos -ou seja como o Dicionàrio Rosseti nos dizia possuem a capacidade de absorver a humidade do ar – as patologias da eflorescência e da criptoeflorescência são fenomenos bastante comuns no dia a dia

 3          4

 A diferença entre  as eflorescências (fig 1 e 3)  e criptoeflorescências (fig 2 e 4)  è que  os primeiros são residuos depositados nas  superficies exteriores das  paredes, enquanto criptoeflorescências   são sais depositados nos interiores das paredes, e que vão aumentando em volume e com o tempo podem causar  a destruição do material das paredes literalmente explodindo or poros. Factores decisivos se a cristalização serà  interna ou externa  são:

  • Natureza ou composiçâo dos sais,
  • A porosidad dos materiais de construção,  
  • As condiciones favoraveis ou não à  evaporação.

Uma  dos causas principais das eflorescências são portanto os sais solúveis  que se encontram nas matérias-primas e  os mais importantes destes sais são:

  • Cloretos:  especialmente o cloreto de sódio, que é encontrada principalmente nas proximidades de zonas maritimas.
  •  Nitratos: estão principalmente associados diretamente com a presença de matérias orgânicas.
  • Carbonatos:  são frequentemente responsàveis em casos de eflorescências principalmente em forma de  carbonato de sódio e estão normalmente  ligados com a argamassa de cimento ou a humidade do solo.  
  • Sulfatos: São os principais culpados na maioria dos casos, de patologia em edificios, nas quais sais soluveis  jogam um rolo importante sendo o sulfato de sódio o sal mais comum em casos de eflorescência.

Zonas afectadas dos edifícios, são principalmente os pontos de transição entre áreas molhadas ou úmidas e zonas secas.

Sais em grande quantidades podem ser encontrados onde  a água, – devido a danos estruturais em paredes, por ex fissuras,- se infiltra e sai novamente transportando os sais dissolvidos através dos poros e cavidades os quais se cristalizam em áreas onde a água evapora, dissolvem-se novamente em contacto com a água para de novo cristalizar-se depois de evaporação,etc. Segundo  resultados de ultimos estudos são as pressões exercidas sobre as paredes dos poros em diferentes processos químicos e físicos  que causam o efeito destrutivo dos sais solúveis.

Cristais, que se cristalizam a partir de soluções aquosas crescem atravès da armazenagem de átomos, íons e moléculas.com este crescimento aumenta a pressão sobre as paredes dos poros apos este ter atingido o ponto de saturação.(uma quantidade que corresponde ao dobro do ponto de saturação exerce uma pressão de cerca de 100 kg/cm2, ao ultrapassar 10 vezes esta quantidade a pressão aumenta atè cerca de 2000 kg / cm 2). Mesmo uma ligeira ultrapassagem do ponto de saturação já é suficiente para exercer pressão capaz de causar danos nas superficies de tijolos e argamassa.
Dependendo das condições, o mesmo  sal pode  absorver quantidades diferentes de água na sua rede cristalina a qual produz novos cristais, sendo uma das mais conhecidas a reação do Sulfato de Sodio com agua a qual se pode formular do seguinte modo :

 Na2SO4. 10H2O <- 32,4 x C -> Na2SO4 + 10H2O

Isto significa que acima da temperatura de 32,4°C  dá origem ao mineral „ thenardita (Na2SO4) que è anidrico. Abaixo de 32,4°C em presença de humidade Thenardite absorve àgua atè se transformar no mineral „Mirabilita“ ( Na2SO4·10H2O) tambèm conhecido como “sal de Glauber” a qual contèm 10 molèculas de agua por cada molècula de estrutura cristalina –decahydrato.

Essas transformações são susceptíveis de causar  reações frequentes  e, assim, causar danos consideráveis.

Importante è saber que existem muitas fontes de sais ligeiramente solúveis – as pedras, cimento, água subterrânea, água do mar, animais, microorganismos, poluição do ar, sal da estrada e outros materiais usados na construção – e que estes sais podem causar danos irreparàveis.

Medidas contra os Bolores

Como Combater os Bolores

Antes de tudo deve-se procurar a causa, e só depois da localização e eliminação desta ou destas fontes se pode começar a combater os Bolores com successo. A palavra chave aqui è Humidade.

Superficialmente reconhece-se zonas afectadas atravès da coloração preto-esverdeada (colonias de esporos) . Muitas vezes o cheiro a mofo  antecipa os sinais visuais e nâo se devem menosprezar porque nâo são raros os casos em que os bolores se multiplicam por debaixo de um papel de parede, atràs de mòveis, etc.

Muito Importante è não esfregar ou lixar a seco zonas afectadas pois isto liberta os esporos no ar que assim fazendo parte do  ar respiravel  serão inhalados  podendo ser muito prejudiciais à saude. Lembrem-se de que o tamanho de um esporo varia entre 1-100 µ  e como sabemos  1 µ = 1/1000 milimetros.

Nem todos os produtos anti-bolores que se encontram no mercado são eficientes e produzem o efeito desejado. Tenho ouvido diversas histórias aonde a situação até parece ter piorado. Ponto a Reflectir é que também muitos destes produtos –os mais agressivos- contêm elementos tóxicos que muitas vezes são mais prejudiciais à saúde do que o próprio Bolor. Informe-se bem ao comprar

Utilize sempre luvas, mascara para particulas finas e oculos e proteja a pele principalmente se não estiver certo quanto ao tipo de Bolor de que se trata. Mantenha o lugar de trabalho bem arejado.

Bons resultados podem ser obtidos lavando as zonas com Soda,Lixivia ou Etanol (Alcool Etilico 80%), dependendo do estado de desenvlvimento e quantidade dos bolores. Por outro lado muita gente utiliza o Vinagre ,o que na maioria dos casos acaba se revelando contra-productivo ,o que nem è tão estranho, pois a acidez è ideal para a multiplicação dos Bolores. Se utilizar a Lixivia o efeito è maior se ela for diluida em agua (ca.10%) do que quando utilizada pura. Nunca misture a lixivia com o Amoniaco –alguns pintores têm passado maus momentos devido a isto.

Se a zona contaminada è maior que cerca de 0,5 m2 serà melhor chamar um especialsta para executar o trabalho

Biologos recomendam uma mistura de 3% de Acido salisilico e 97% de Alcool (misturar numa drogaria). Aplicar 3 vezes esperando uma meia hora entre cada aplicação.depois esfregar as zonas com Alcool desnaturado.

Lembrem-se que simplesmente limpar a zona afectada, mesmo matando todos os esporos , mas não eliminar ou repararas fontes de huminade não resolverà o problema a longo termo.

Superficies lisas como o vidro, a cerâmica ou metal deixam-se limpar com bastante facilidade, não sendo este o caso de papeis de parede, muros, etc  que na maioria dos casos terão que ser substituidos.

Prevenção 

De qualquer modo a melhor medida contra bolores é a prevenção, não fornecer condições propicias para que os fungos possam aparecer e propagar-se. Algumas medidas são:

1.       A humidade relativa no interior não deveria ultrapassar os 60%. (hygrometro)

2.       Aerejar a casa de banho imediatamente depois do duche e durante esta manter a porta fechada

3.       Entre peças de uma habitação em que são mantidas diferentes temperaturas deve-se manter as portas fechadas evitando deste modo que o ar húmido seja transportado nas peças mais frescas aumentando nestas a humidade relativa.

4.       Ao cozinhar manter a porta da cozinha fechada, para evitar que o vapor de agua se propague pelo apartamento. Sempre que possivel utilizar o exaustor ou abrir as janelas.

5.       Não pôr a roupa secando no interior de quartos fechados

6.       Abrir completamente as janelas entre 5 e 15 minutos, duas a quatro vezes por dia de modo que o ar humido do interior possa ser trocado pelo ar fresco o que ajuda a baixar a humidade relativa. Para quem està ausente o dia inteiro recomenda-se de manhãzinha e ao retornar a casa uma forte aeração atravès da provocação de correntes de ar.

7.       Evite colocar móveis muito encostado nas paredes –especialmente as paredes esteriores- deixando assim espaço para a circulação do ar.

8.       Reparar problemas na canalização, ou danos nas paredes exteriores imediatamente

9.       Evitar a utilização de papeis de parede em cozinhas ou casas de banho

10.   Ao pintar casas de banho ou peças aonde a humidade è alta sempre que possivel utilizar tintas à base de silicate que através da sua alta alcalidade – valor ca. Ph-11 –inibe o crescimento de fungos. 11. Não pintar -principalmente com dispersões- sobre zonas afectadas por bolores

11. Não pintar -principalmente com dispersões ou outras tintas à base de liantes orgânicos- sobre zonas afectadas por bolores

12.   Identificar pontes termicas e tomar as medidas necessàrias para a reparação destas.

Fungos e Bolores I

O que são os Fungos (Bolores)?

Bolor-ou também Mofo– è o nome dado aos Fungos multicelulares que formam uma rede filamentosa conhecida como o micélio que por sua vez è composto de filamentos individuais conhecidos pelo nome de hifas as quais são capazes de reproduzir esporângios, onde se encontram os esporos que são responsáveis pela reprodução do Fungo.

Elas pertencem ao nosso meio Natural e podem ser encontradas tanto no Exterior assim como no interior das habitações.

Alguns fungos são utilizados positivamente nos mais diversos sectores como è o caso por exemplo na produção de Queijos como o Roquefort ou o Gorgonzola assim como na medicina aonde o mais famoso exemplo è o “Penicillium Chrysogenum” (foto) a partir da qual foi criada a vacina de Penicilina. Tambèm são utilizados na fabricação de  diversios antibioticos. No Interior das habitações no entanto representa um grande perigo para a saúde das pessoas e dos animais.

        

Conhecidos são cerca de 250.000 espècies das quais cerca de 100.000 se encontram catalogados biologicamente. Cerca de 200 tipos de fungos diferentes foram descobertos em habitações das quais 5 destes tipos são considerados muito perigosos para a saúde.No  Começo è quase impossivel descobrir os Fungos pois as hifas são transparentes e quando se tornam visiveis para o olho humano jà estão produzindo esporos (visiveis atravès da sua coloração na maioria das vezes preto ou azul). A este ponto os Micélios (conjunto de hifas) jà estão profundamente ancoradas e bem desenvolvidos. A maioria das pessoas só realizam a propagação quando os Esporos jà se formaram em colonias e manchas são visiveis ou o odor mofo torna-se penetrante.

De aonde vêm os fungos?

O ar no interior das habitações normalmente è mais quente do que o Ar no exterior e por isso absorve mais humidade. Se  não houver bastante troca de ar esta Agua pode condensar em diversos sitios da habitação especialmente nos arredores das Janelas, cantos, paredes do quarto de dormir ou atràs dos armarios. Estes pontos humidos podem se tornar em excelente solo alimenticio para bacterias como o Bolor. Tambem pode suceder que atravès de zonas problematicas nos tetos ou paredes exteriores (fendas, fissuras), assim como quando estragos causados pela Agua(p.e. problemas na canalização) não são secadas expeditivamente, certas zonas se transformem em terrenos ideais para o crescimento de Fungo.

Quando numa parede, em boa condição, só certas zonas -muitas vezes geometricamente delimitadas- são atacadas isso pode ser uma indicação da existência de pontes termicas (zonas com carateristicas termicas diferentes –muito mais frias- em relação ao resto), sendo estas zonas aonde a humidade pode se condensar com as acima mencionadas consequências.

   

1                                                     2                                                       3

fig.1 mostra uma zona infectada. Na fig.2  a mesma zona documentada em fotografia termogràfica de infravermelhos,repare-se a grande diferença de temperaturas dentro da mesma zona. fig.3 Vista geral  do esterior  aonde são bem visiveis as pontes termicas

A causa Principal para o aparecimento do Bolor (Fungos ) é portanto a humidade. A quantidade de agua (vapor) disponível nos poros do material atacado –conhecido como “aw” ou actividade de agua- è  que vai determinar  o crescimento dos fungos.

Tecnicos calcularam que a partir de 60-70% de humidade Relativa a probabilidade do aparecimento de fungos é grande.

A humidade relativa é a diferença ou relação entre a humidade absoluta do ar e a humidade da mistura do mesmo ar no seu ponto de saturação tendo como base a mesma temperatura para as duas situações. Pode ser medida com um hygrometro (existem no mercado a bom preço).

O segundo factor importante para o desenvolvimento dos fungos é a temperatura, factor que determina se este desenvolvimento se processa com maior ou menor rapidez Fungos podem se desenvolver  numa ampla faixa de temperatura, como por ex. o Aspergillus fumigatus que se desenvolve bem numa faixa entre os 12-56° C

A maioria dos fungos desenvolvem-se melhor  quando encontram valores de humidade relativa de ca. 80% e temperatura acima dos 20oC.

Como terceiro factor são as condições nutritivas oferecidas aos fungos pelos diversos materiais.

As melhores condições para a propagação de fungos oferecem materiais organicos como por ex.

•      Madeira

•      Papeis de parede e cola

•      Tintas

•      Couro, textis, etc.

Mas  também rebocos minerais, placas de Isolação sintéticas ou mesmo o Betão podem ser atacadas a partir do momento em que tenham  residuos minimais de substâncias orgânicas.Alguns  fungos que no Interior só através de danos causados pela agua aparecem ou se tornam visiveis são tambèm conhecidos como organismos-indicadores, pois até uma pequena concentração de elas jà é um importante sinal da possivel existência de danos causados pela agua. Alguns dstes fungos indicadores são:

 ·       Aspergillus versicolor,

·         Acremonium(div)

·         Chaetomium(div) 

 ·         Stachybotrys chartarum.

*Os nomes dos fungos, que na Microbiologia estão ordenados em 3 grupos- chamados taxonomicos,- são contruidos por duas palavras latinas em que a primeira informa sobre o Genero, e a segunda especifica a especie. Por ex.”Penicillium Camemberti” fungo do Genero penicillium e da espécie utilizada na fabricação de certos tipos do queijo tipo camembert.

Para a saude são prejudiciais os milhões de  esporos que  circulam pelo ar e que uma vez inhalados podem produzir alergias,caso em que especialmente pessoas que jà são alergicas a outras coisas são atacadas mais facilmente, ou outras doenças como a Asma, Bronquite,  repetidas dores de cabeça ou infecções da pele etc.

Algumas espécies produzem além disso Micotoxinas  que podem ser muito venenosas e provocam entre outras coisas disturbios do Figado ou dos Rins ou até o aparecimento de  doenças cancerosos.

No proximo post falarei sobre como combater bolores

Tinta com Prata

O poder antibacterial da prata jà era conhecida pelos Egipcios que a utilizavam para tratar a àgua, os  antigos Gregos utilivam-o como antiseptico  e diversos povos prolongavam o prazo de consumo do leite com a sua ajuda.

Hoje aproveitando os avanços feitos no campo da nanotecnologia, diversos fabricantes de tinta estão trazendo ao mercado uma nova qualidade de tinta anti-bolores contendo poeira de prata com as quais eu e outros pintores têm obtido excelentes resultados. Isto sò é possivel graças a nanoparticulas de prata distribuidas na tinta.

Mas como actua a prata? Ora bem a prata quando distribuida  em liquidos liberta catiões -particulas carregadas de Electricidade positiva-, estes catiões actuam como bactericidas (matam) reagindo com as proteinas das bacterias provocando a morte destas. Este processo è conhecido sob o nome de  “oligodinâmica”.

Pintar a parede

Alguns pontos a ponderar antes de começar

Sempre que se pintam tanto o teto como as Paredes  se deve primeiro pintar o teto e em seguida  as paredes.

Sempre que necessàrio fechar uma fenda com a pistola para selantes (mastique) è importante o certificar-se que se utiliza a massa Acrilica e não o silicone, pois esta ultima não se deixa pintar.

Assim como no caso do teto recomenda-se começar nas zonas mais iluminadas e avançar em direção das  zonas  escuras o que ajuda a evitar. A utilização de uma escada é aconselhàvel  mesmo quando formos altos pois permite a visão de um vinculo mais favoràvel.

Sempre que possivel utilizar o Pinsel de Radiador, (cabo longo), para recortar a linha entre o teto e a parede.

Ponto Por ponto deve-se:

1.       Afastar todos os Moveis  da Parede

2.       Cobrir os moveis com um plastico fino

3.       Cobrir o Chão com Plàstico grosso ou Cartão

4.       Cobrir  cantos de portas e janelas com fita  adesiva.

5.       Cobrir o Rodapè com fita adesiva e papel utilizando o aparato para mascarar, ou com uma fita adesiva larga

6.       Controlar  a superficie e reparar fisuras, etc

7.       Se a parede està forrada com papel controlar os cantos e as juntas. Aonde o papel não pega recolar utilizando a cola branca e passando a Roleta.

8.       Começar a pintura recortando a linha entre a parede e o teto com o pincel e depois com o rolo de lã pequeno pintar  uma faixa de cerca de 30cm de largura. Fazer a mesma coisa ao longo do Rodapé, portas, janelas…

      

9. Com um Rolo de Lã grande e com a ajuda do telescópio  pintar  a superficie da Parede. Importante è a utilização da grelha para retirar o excesso de tinta antes de levar o rolo à parede. Encoste o rolo mais ou menos a meia altura da parede e faça o primeiro movimento de baixo para cima de modo que pingos de tinta saltarão contra aparede e não na outra direção.

10.   Se for necessàrio uma segunda mão deixar secar a primeira antes de recomeçar.

11.   Se pintou com tinta brilhante ou elàstica retirar imediatamente as màscaras depois de pintar, antes que atinta seque.*devido a diferença de preço entre a tinta fosca e a brilhante aconselha-se utilizar uma tinta fosca para a primeira demão e a brilhante so como finição.                      

  • Consulte a lista de controle para teto e Parede

A Renovação interna ou externa da casa ou Apartamento, requer muita paciência e há certos pontos importantes que devem ser respeitados para não se cair em certas armadilhas. As lojas especializadas e Diversos Supermercados Do-it-Yourself, possuem uma grande diversidade de tintas e outros produtos auxiliares o que, muitas vezes, acaba confundindo os consumidores e perturba assim a escolha do  produto ideal para cada projecto, o que pode ser fatal pois a base do sucesso do nosso trabalho reside na preparação das superficies a serem tratadas e por isso è muito importantante que se utilize o Produto certo em cada situação,tambèm a estètica  e a resistência atravès dos anos depende da Qualidade das tintas utilizadas na finalização. O bom produto não è obrigatóriamente o mais caro mas na maioria dos casos vale a pena investir nos produtos de melhor qualidade pelas seguintes razões:

  • O Produto de Qualidade superior cobre em 2 demaos, às vezes até em uma, aonde se necessita 3 ou 4 demaos para se chegar ao mesmo resultado com um produto de qualidade inferior
  • Com a mesma quantidade de tinta pinta-se mais metros quadrados utilizando uma boa tinta.
  • Tintas de melhor qualidade são geralmente mais faceis de trabalhar. Deslizam melhor
  • Filmes dos Produtos de uma melhor qualidade são mais resistentes e assim aguentam mais tempo.
  • Quando se quiser renovar no futuro pode-se trabalhar na maioria dos casos directamente sobre as superficies tratadas com uma boa tinta.Aconselha-se a consultação das Fichas Tecnicas antes da compra ou utilização de cada produto aonde se podem encontrar, entre outras, informações sobre
  • Caracteristicas ( Função e Aspecto…)
  • Campo de Aplicação (Interior, Exterior,…)
  • Dados tecnicos (Densidade  ou ME, Brilho, parte solida,..)
  • Aplicação (consumo por demão, preparação,…),.

Pintar tetos é certamente um dos trabalhos de pintura que exigem mais cuidados concentração e paciência. Já pela razão que o Tecto pela sua posição reflecte muita luz, o que não permite muitos erros pois vê-se tudo.

Muito importante é a preparação. Primeiramente deve-se dar atenção à pintura que já se encontra no teto. Passe uma esponja húmida no tecto e no caso da tinta vir agarrada na esponja deve-se lavar o tecto antes de começar a pintar e remover completamente os restos da tinta. A razão é que antigamente certas tintas eram fabricadas com pigmentos e cola -servindo de Liante com o Cal sendo ao mesmo tempo Pigmento e Cola- diluída em água que depois da secagem são reversiveis, o que significa que se deixam remover por intermedio do diluente que neste caso è a Agua. Outro problema è que os filmes da maioria das tintas depois de secarem se encontram sob grande tensão e começam a quebrar-se em certas zonas se o suporte não è estabil e limpo (fig1).

            

   fig1                                                                                             fig2

Quando os suportes atravès da lavagem não ficam bem limpos recomenda-se utilizar uma tinta mate para tetos à base de Oleo que estando sob baixa tensão depois de secar è mais resistente as condições irregulares do suporte, necessitando no entanto diluentes sintèticos e deixando um forte odor durante algum tempo apos a secagem.Fissuras(fig2) devem ser um pouco alargadas e enchidas com massa utilizando as espátulas.

Velhas manchas secas causadas pela Agua devem ser isoladas (imagem à direita)

 Superfícies muito absorventes ou esfareladas devem ser impregnadas com um fixativo ou primário. Deve-se prestar atenção e levar a sério a todos os sinais de desagregação.

Fendas entre o Gesso e partes de madeira assim como entre o teto e a parede   devem ser fechadas com uma massa acrílica utilizando a pistola e lavando o excesso com uma esponja molhada.

Residuos ou manchas de nicotina não se deve lavar, mas sim isolar-se com uma pintura isolante ou um fundo isolador pigmentado depois de uma limpeza superficial.

Normalmente um teto pinta-se de Branco (fácil de harmonizar com outras cores) ou com uma cor muito clara, de qualquer modo mais clara do que a cor das paredes,  excepções podem se fazer quando os tectos sejam muito altos podendo-se nestes casos utilizar cores diversas até cores bastante escuras como o castanho que até era moda nos anos setenta.

Quanto mais devagar a tinta secar melhor é para o resultado final, pois evitam-se mais facilmente, as famosas estrias. Hoje em dia existem muitas boas dispersões a base de Silício de Potàssio que são ideais para pintar tetos. Ao começar a pintar deve-se primeiro “aparar” ou “recortar” as bordas com um pincel e depois rolar a superfície com um rolo de lã grande, mas de pelo curto e com a ajuda de um telescópio,(fig3), um cabo de vassoura também serve. Rolar um tecto utilizando a escada só pode dar resultados satisfatórios se o tecto for pequeno.

                  

 fig 4                                        fig 5                                                                 fig 6

Quando a tinta tenha um bom tempo de abertura (seca devagar), aconselha-se para quem não tenha a habitude de pintar tetos utilizar o sistema cruzado, isto è aplicar e espalhar a tinta numa direção p.e. da Esquerda para a direita(fig 5) e depois estica-la na outra direção, neste caso de tras para a frente (fig 6), começando a trabalhar no ponto aonde entre mais luz, (p.e. das Janelas) para o interior da peça.

Sempre que possivel trabalhar com a Luz do dia evitando a Iluminação sintètica. Um teto deve ser pintado em uma sessão e trabalhando o mais ràpido possivel, sem pausar. Para facilitar o trabalho deve-se retirar do quarto tudo o que for possivel, moveis,etc. todo o resto que fique dentro do quarto deve ser coberto com um plàstico fino para Móveis e o chão com um plàstico grosso ou cartão. Lembre-se que a maioria dos panos sugam a tinta ficando molhada nos dois lados e por isso não servem para proteger superficies ou objectos.  Procure trabalhar segundo um certo esquema, por exemplo dividindo teoreticamente o teto em 4 partes e pintando um quadrado de cada vez,esquerda,direita,esquerda, direita. Finalmente uma palavra sobre a tinta, ela deve ser o mais fosco(mate) possivel. 

Quanto material se necessita depende sempre de variaveis condições. As fichas tècnicas normalmente informam sobre a quantidade de tinta necessaria para pintar 1m2. Faça atenção se as quantidades são dadas em Lt. ou Kg. 

Para  calcular quantos quilos (kg) correspondem ou equivalem a quantos litros (lt), necessita-se a “massa especifica” da tinta que tambèm se encontra na ficha tècnica .

Litros vezes massa especifica  dà-nos os quilos             (Lt x ME = Kg)

Massa Especifica dividida pelos quilos dà Litros            (Kg / ME = Lt)