Just another WordPress.com site

             Definições

  • O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa define a palavra „Eflorescência „ como sendo:

1. Bot. Princípio da florescência( Acto!Ato de florescer).

2. Espécie de cristalização, aparentemente pulverulenta, que cobre as folhas e outros órgãos de certas plantas.

3. Espécie de bolor nas paredes Húmidas

4. Med. Pequena erupção na pele

  •  O Dicionario Rossetti de Quimica nos explica  que  „alguns compostos, ditos eflorescentes, apresentam cristais que perdem as águas de cristalização, ou seja, moléculas de água que estão presas entre os cristais, em contato com o ar. Já os higroscópicos são compostos que têm cristais que absorvem água do ar ficando hidratados.

Seja qual for a definição a verdade é que manchas de sal branco cristalizados, seja em construções antigas ou modernas,  são mais do que que um simples incomodo tanto para os proprietarios assim como para arquitectos, engenheiros e restauradores. O dano causado pelo sal afecta não somente a aparência de um edifício, mas também a durabilidade dos materiais de construção o que pode se tornar num caso muito serio e até perigoso.

 1               2

Na construção civil „Eflorescência“-  popularmente conhecido como salitre-  geralmente  é  o nome que se dà aos residuos de sais, que  apos  terem sido diluidos com água e atravessado o material de construção pelo efeito capilar se recristalizam na superficie das paredes depois  da Agua se evaporar ao atingir a superfície.  Estes sais soluveis tanto podem jà existir no terreno de construção ou nos materiais de construção da parede.Como na construção civil muitos dos materiais utilizados sâo higroscópicos -ou seja como o Dicionàrio Rosseti nos dizia possuem a capacidade de absorver a humidade do ar – as patologias da eflorescência e da criptoeflorescência são fenomenos bastante comuns no dia a dia

 3          4

 A diferença entre  as eflorescências (fig 1 e 3)  e criptoeflorescências (fig 2 e 4)  è que  os primeiros são residuos depositados nas  superficies exteriores das  paredes, enquanto criptoeflorescências   são sais depositados nos interiores das paredes, e que vão aumentando em volume e com o tempo podem causar  a destruição do material das paredes literalmente explodindo or poros. Factores decisivos se a cristalização serà  interna ou externa  são:

  • Natureza ou composiçâo dos sais,
  • A porosidad dos materiais de construção,  
  • As condiciones favoraveis ou não à  evaporação.

Uma  dos causas principais das eflorescências são portanto os sais solúveis  que se encontram nas matérias-primas e  os mais importantes destes sais são:

  • Cloretos:  especialmente o cloreto de sódio, que é encontrada principalmente nas proximidades de zonas maritimas.
  •  Nitratos: estão principalmente associados diretamente com a presença de matérias orgânicas.
  • Carbonatos:  são frequentemente responsàveis em casos de eflorescências principalmente em forma de  carbonato de sódio e estão normalmente  ligados com a argamassa de cimento ou a humidade do solo.  
  • Sulfatos: São os principais culpados na maioria dos casos, de patologia em edificios, nas quais sais soluveis  jogam um rolo importante sendo o sulfato de sódio o sal mais comum em casos de eflorescência.

Zonas afectadas dos edifícios, são principalmente os pontos de transição entre áreas molhadas ou úmidas e zonas secas.

Sais em grande quantidades podem ser encontrados onde  a água, – devido a danos estruturais em paredes, por ex fissuras,- se infiltra e sai novamente transportando os sais dissolvidos através dos poros e cavidades os quais se cristalizam em áreas onde a água evapora, dissolvem-se novamente em contacto com a água para de novo cristalizar-se depois de evaporação,etc. Segundo  resultados de ultimos estudos são as pressões exercidas sobre as paredes dos poros em diferentes processos químicos e físicos  que causam o efeito destrutivo dos sais solúveis.

Cristais, que se cristalizam a partir de soluções aquosas crescem atravès da armazenagem de átomos, íons e moléculas.com este crescimento aumenta a pressão sobre as paredes dos poros apos este ter atingido o ponto de saturação.(uma quantidade que corresponde ao dobro do ponto de saturação exerce uma pressão de cerca de 100 kg/cm2, ao ultrapassar 10 vezes esta quantidade a pressão aumenta atè cerca de 2000 kg / cm 2). Mesmo uma ligeira ultrapassagem do ponto de saturação já é suficiente para exercer pressão capaz de causar danos nas superficies de tijolos e argamassa.
Dependendo das condições, o mesmo  sal pode  absorver quantidades diferentes de água na sua rede cristalina a qual produz novos cristais, sendo uma das mais conhecidas a reação do Sulfato de Sodio com agua a qual se pode formular do seguinte modo :

 Na2SO4. 10H2O <- 32,4 x C -> Na2SO4 + 10H2O

Isto significa que acima da temperatura de 32,4°C  dá origem ao mineral „ thenardita (Na2SO4) que è anidrico. Abaixo de 32,4°C em presença de humidade Thenardite absorve àgua atè se transformar no mineral „Mirabilita“ ( Na2SO4·10H2O) tambèm conhecido como “sal de Glauber” a qual contèm 10 molèculas de agua por cada molècula de estrutura cristalina –decahydrato.

Essas transformações são susceptíveis de causar  reações frequentes  e, assim, causar danos consideráveis.

Importante è saber que existem muitas fontes de sais ligeiramente solúveis – as pedras, cimento, água subterrânea, água do mar, animais, microorganismos, poluição do ar, sal da estrada e outros materiais usados na construção – e que estes sais podem causar danos irreparàveis.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: